sexta-feira, 11 de julho de 2008

Mais poesia...

MUSA (Luís Antonio Cajazeira Ramos)

Nenhum perfume disse que chegaste.
Não houve sobressaltos, nem sinais.
Chegaste, assim como quem chega, e parte
de tudo parte, para nunca mais

achar o rumo, longe do que fui.
Resta de mim somente algo de novo,
muito antigo e completo, feito fogo
ou verdade, tão novo como luz,

cidade, paz, necessidade, pão,
algo tão novo como tudo em vão.
E segue meu delírio a te seguir.

Nenhum perfume disse que partiste.
"E não partiste", meu delírio insiste.
Talvez perdido em ti dê trégua a mim.

Um comentário:

  1. adoroo poesia!! e essa ta bem legal!

    belo blog!
    beijo !

    ResponderExcluir