quinta-feira, 26 de julho de 2012

Animais...


"Nós seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso
dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar.
Portanto quem chuta ou maltrata um animal é alguém que não aprendeu a
amar". CHICO XAVIER


FOTO: Beatrix com a Nina (lindona)

terça-feira, 24 de julho de 2012

Cartas ao avesso - Bilhetinho de Virginia

Não quero ser célebre nem grande. Quero avançar, mudar, abrir meu espírito e meus olhos, recusar a ser rotulada e estereotipada. O que conta é liberar-se por si mesma, descobrir suas próprias dimensões, recusar os entraves.”
- Virginia Woolf*
 
Segue abaixo trecho da última carta de Virgínia Wolf para seu marido Leonardo:
 
"Querido,

Tenho certeza de estar ficando louca novamente. Sinto que não conseguiremos passar por novos tempos difíceis. E não quero revivê-los. Começo a escutar vozes e não consigo me concentrar. Portanto, estou fazendo o que me parece ser o melhor a se fazer. Você me deu muitas possibilidades de ser feliz. Você esteve presente como nenhum outro. Não creio que duas pessoas possam ser felizes convivendo com esta doença terrível. Não posso mais lutar. Sei que estarei tirando um peso de suas costas, pois, sem mim, você poderá trabalhar. E você vai, eu sei. Você vê, não consigo sequer escrever. Nem ler. Enfim, o que quero dizer é que é a você que eu devo toda minha felicidade. Você foi bom para mim, como ninguém poderia ter sido. Eu queria dizer isto - todos sabem. Se alguém pudesse me salvar, este alguém seria você. Tudo se foi para mim mas o que ficará é a certeza da sua bondade, sem igual. Não posso atrapalhar sua vida. Não mais. Não acredito que duas pessoas poderiam ter sido tão felizes quanto nós fomos
."

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Escritos...




"Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe.Perigo de mexer no que está oculto — e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente.
Mas é um vazio terrivelmente perigoso: dele arranco sangue. Sou um escritor que tem medo da cilada das palavras: as palavras que digo escondem outras — quais? talvez as diga. Escrever é uma pedra lançada no poço fundo.
Meditação leve e terna sobre o nada. Escrevo quase que totalmente
liberto de meu corpo. É como se este estivesse em levitação. Meu espírito está vazio por causa de tanta felicidade. Estou tendo uma liberdade íntima que só se compara a um cavalgar sem destino pelos campos afora. Estou livre de destino. Será o meu destino alcançar a liberdade? não há uma ruga no meu espírito que se espraia em leves espumas. Não estou mais acossado. Isto é a graça."
UM SOPRO DE VIDA, Clarice Lispector

segunda-feira, 16 de julho de 2012

domingo, 8 de julho de 2012

Querida Clarice

O livro "A paixão segundo GH", de Clarice Lispector se apresenta:

"Este livro é como um livro qualquer.
Mas eu ficaria contente se fosse lido apenas por pessoas de
alma já formada.
Aquelas que sabem que a aproximação, do que quer que seja,
se faz gradualmente e penosamente - atravessando inclusive o
oposto daquilo que se vai aproximar. Aquelas pessoas que, só
elas, entenderão bem devagar que este livro nada tira de ninguém."

Depois assisto essa entrevista dela, feita em 1977 onde ela responde a seguinte questão:
A partir de que momento você decide assumir definitivamente que é escritora?

"Eu nunca assumi que sou uma profissional. Só escrevo quando eu quero.
Faço questão de não ser uma profissional para manter minha liberdade."

A entrevista na íntegra, com mais pérolas :


sexta-feira, 6 de julho de 2012

Dias chuvosos


Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem.
(Música Mais Uma Vez- Renato Russo)

O bom de ter passado momentos difíceis na vida é que depois de superar a escuridão, não se tem mais medo do escuro.
Semana complicadíssima, cheia de dardos, de buracos pelo caminho que tentam me engolir. Mas tudo bem, como diz a música o sol vai voltar amanhã.

Conhecendo a própria força...



segunda-feira, 2 de julho de 2012

Pedras e flores


Assim eu vejo a vida
CORA CORALINA
A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.