domingo, 31 de maio de 2009

O grande mentecapto

“Apesar da estrada, que ele já apanhou bastante mais movimentada e atraente, a infância de Geraldo Viramundo transcorreu como a de seus irmãos.Como seus irmãos ele comeu terra, botou lombrigas, arrebentou cupim para ver como era dentro, seguiu as formigas para ver aonde iam, misturou açúcar com sal no armazém, furtou garrafa de guaraná e depois mijou dentro botando no lugar para o pai não descobrir, brinco com fogo e mijou na cama, brincou de pegador, tic-tac carambola, este dentro e este fora, matou passarinho com bodoque, enterrou ovo choco e fez fogo em cima para ver se nascia pinto, foi mordido de marimbondo e ficou de cara inchada, amarrou lata vazia em rabo de gato, fez galinha dançar em cima de lata quente, contou com o ovo no rabo da galinha, enfiou o dedo no rabo dela, teve sarampo, catapora, caxumba e coqueluche, pegou sarna para se coçar, correu de boi bravo, botou cigarro na boca de sapo para ele fumar até rebentar, se
escondeu na cesta de roupa suja para ver a irmã mais velha tomar banho, quis pegar a irmã mais nova e depois teve remorso, perdeu a virgindade numa cabrita,fugiu de casa e apanhou e por isso tornou a fugir e por isso tornou a apanhar, construiu casinhas de barro, caiu da árvore e se machucou, comeu manga com leite e adoeceu, contou as estrelas do céu e ficou com berrugas, pegou carona em caminhão, aprendeu a ler na escola, fez do travesseiro o corpo da professora, teve medo do João Carangola que fugiu da prisão e gostava de menino, assobiou e chupou cana ao mesmo tempo, fumou cigarro de chuchu, fez coleção de favas, foi à missa aos domingos, assistiu fita de Tom Mix, Buck Jones e Carlito no cineminha da cidade, apanhou bicho-de-pé, pisou em urina de cavalo e ficou com mijação, armou arapuca no mato, jogou futebol com bola de meia, teve dor de dente de noite, foi coroinha na igreja, contou quantas vezes fazia coisa feia para se lembrar na confissão, procurou não mastigar a hóstia para que não saísse sangue, fez flautinha de bambu, ficou preso pela piroca num gargalo de garrafa, molhou o pijama de noite e teve medo de estar doente, ficou com pedra na maminha e perguntou à mãe o que era, se apaixonou pela filha mais velha dos italianos do empório, tirou o cavalinho da chuva, pensou na morte da bezerra, chorou escondido, teve medo, descobriu que o céu era imenso, teve vontade de morrer, ficou acordado de madrugada ouvindo o galo cantar sem saber onde, sentiu dores nos culhões, comeu a negra Adelaide e virou homem.”
(SABINO, Fernando.O Grande Mentecapto,1979. Pag 11)

terça-feira, 26 de maio de 2009

Julio Cortázar Inédito!

Atenção, atenção! Novidades sobre um dos melhores contistas da literatura mundial!

Julio Cortázar ressurge em livro de inéditos 25 anos após sua morte
Fonte : O GLOBO - 26/05/2009
MADRI - Mais vivo do que nunca no 25º aniversário de sua morte, Julio Cortázar está de volta. A editora Alfaguara apresentou nesta segunda-feira em Barcelona o livro "Papéis inesperados", uma miscelânea de textos inéditos do escritor argentino recuperados de seu acervo pessoal.
De concreto, são quase 500 páginas, nas quais se incluem contos desconhecidos, versões diferentes de relatos, um capítulo nunca publicado do "Livro de Manuel", artigos para jornais e poemas. "O leitor que colecciona Cortázar vai ter agora sua obra completa", explicou Carles Alvarez Garriga, editor do livro. "Este volume é o Cortázar definitivo."

Os textos, muitos deles manuscritos, estavam em cinco caixas sob custódia da viúva do escritor, Aurora Bernárdez, na casa em que viviam em Paris. Foi na capital francesa que Cortázar morreu, aos 69 anos, em 1984, depois de ter legado algumas das criações mais emblemáticas da literatura latino-americana, como "O jogo da amarelinha", "Bestiário" e "Histórias de cronópios e de famas".
Em "Papéis inesperados", os escritos dispersos na temática e no tempo foram agrupados em três partes: narrativa, textos jornalísticos e experiências pessoais. Por último, foram incluídos textos de difícil classificação. "No livro existem relatos surpreendentes, nos que se pode ver como Cortázar aprendeu a escrever", contou Garriga.

No volume também se encontram reflexões sobre arte, pintura, fotografia, música e textos políticos, como os que escreveu sobre o Chile e os desaparecimentos durante a ditadura militar na Argentina. Na opinião do editor, a publicação motivará os leitores a reler a obra de Cortázar. "Sua figura não necessita de recuperação; ele é um autor que se lê e se edita constantemente. Mas esses 'Papéis inesperados' podem contribuir para que muitos leitores refresquem a memória e voltem àqueles livros que descobriram quando eram jovens ou adolescentes."

Segundo a editora, "Papéis inesperados" será publicado em toda a América Latina até o fim de 2009.

sábado, 23 de maio de 2009

Não fui eu que escrevi !!

Você já deve ter lido em uma dessas milhares de mensagens que chegam por e-mail uma mensagem que começa assim: "Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dara mão e acorrentar a alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se..." .
Essa é uma das muitas mensagens que estão sendo atribuídas a Shakespeare, Drummond, Vinicius de Moraes, Arnaldo Jabor ou algum outro famoso escritor.
Não estou desqualificando o texto, mas ao menos esse não pertence a nenhum desses autores. E para saber disso além de fazer pesquisas, basta conhecermos um pouco do estilo desses homens da escrita para saber que esse tipo de texto não faz parte de seus repertórios.
Inclusive vários sites de frases e mensagens divulgam esses erros de autoria, despreocupados com os danos que podem causar para seus leitores.
Assim, fica aí o recado para não propagarmos por aí obras de autoria desconhecida que querem se apropriar da fama de talentosos escritores.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Dica de site

Aqui está um site para salvar em seus Favoritos: NEWSTIN
Ao menos na parte de literatura, está com todas as novidades em dia.
Além disso, aquelas bandeirinhas ao lado esquerdo da notícia são links de cada país. Você pode ler as notícias da Espanha, Portugal só clicando na bandeira do país.
Visite e fique atualizado!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

terça-feira, 19 de maio de 2009

Dores e lágrimas

O sofrimento está disponível para todos de diversas maneiras.
Por vezes, podemos evitá-lo. Outras vezes, não.
Com a dor,outras sensações florescem como raiva, vingança, frustração.
Mas só quem já chorou sabe o quanto a alma pode ser machucada.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Entenda

Alegre-se com seu crescimento, para o qual não pode levar ninguém junto e seja bondoso com aqueles que ficam para trás, seja seguro e tranquilo diante deles, sem perturbá-los com suas dúvidas nem assustá-los com uma confiança ou alegria que eles não poderiam compreender.

Cartas a um jovem poeta (RILKE)


quarta-feira, 13 de maio de 2009

Ler além das palavras

QUADRILHA (Carlos Drummond de Andrade)

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Apesar de ser uma análise curta, me atrevo a comentar algo que aprendi e que gostaria de compartilhar com meus amigos: ter olhar mais apurado para uma obra.
Em Quadrilha de Drummond, já iniciamos percebendo a ideia do contexto com o título que está se referindo a uma dança típica das festas de junho (juninas) onde os casais vão se alternando nos pares. Em breves linhas o poeta retrata a dança de relacionamentos, e o quanto isso pode comprometer toda uma vida.
Verificando de trás para frente, Lili se casou aparentemente por interesse pois seu marido é citado apenas pelo sobrenome, sinal de ostentação para os mais abastados. Além disso, lemos que Lili não amava ninguém e que assim não poderia se casar por amor.
O Joaquim que amava Lili, sabendo que ela não amava ninguém, cometeu suicídio. E a Maria que amava Joaquim não se casou com ninguém pois seu amor morreu.
O Raimundo talvez seja o único que não tenha morrido por amor, já que foi vítima de um fatídico desastre, que no entanto desconsolou Tereza que o amava. Ela tão desalentada da tragédia de sua vida resolveu ir para um convento, e o João que a amava foi embora do país desistindo de seu amor pela freira Tereza.
Interessante, não?!
Muitas vezes lemos superficialmente algo e não aproveitamos o rico contexto que possui.

Se souber de mais alguma informação sobre “Quadrilha”, fique a vontade para postar.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Meus cumprimentos e meu desabafo!

Meus cumprimentos hoje vão para minha conterrânea de SC: uma menina de 13 anos chamada JOSIANE DE MORAIS. Quem é ela? Uma das semifinalistas do Soletrando 2009.
Se não bastasse essa difícil façanha que ela obteve a nível nacional, ouvi e li o discurso dessa menina lá do interior de Praia Grande (SC), que me impressionou.
Em entrevistas para a mídia local, Josiane falou o quanto vale o estudo, como dá prioridade para a educação para garantir seu futuro ao invés de pensar em namoricos.Como desde cedo, ela pode ser vaidosa, brincalhona sem ser irresponsável e fútil. No site do Caldeirão, ela ainda deixa uma mensagem exemplar para os estudantes: "Que nunca desistam de seus sonhos. Estudem bastante, pois é através do estudo que conseguimos atingir nossas metas."
___________________________________________________
AGORA, MEUS COMENTÁRIOS:
Hoje aos meus 27 anos com status civil solteira ouço comentários pelas minhas costas de criaturas fúteis que esperavam que eu, nessa idade estivesse casada e com uma penca de filhos. Mas não, assim como a mocinha ali de cima eu investi meu tempo e dinheiro no meus estudos que me propiciaram inúmeras possibilidades de crescimento.
Viagens, intercâmbios, uma remuneração que me faz independente dos meus pais, conhecimento, espaço em vários lugares, respeito e principalmente tempo para fazer escolhas.
Sabe..., em tom de desabafo gostaria de pegar essas menininhas de 16 , 17 anos que engravidam, se comprometem tão cedo achando que é o máximo depender de um "machinho" para cuidar delas e mostrar um filme do que será a vida delas daqui para frente.
Nossa, tão esperançosas de que a beleza as salvará de tudo (detalhe> aqui quem vos fala não é nenhuma feia invejosa ), e de que a vida é assim: uma eterna festinha com drinques, beijinhos e salto alto.
Bibelôs: podemos bem mais que isso!







sexta-feira, 8 de maio de 2009

Estava tudo ali

Ilustração: Henry González
Estou lendo uma reportagem especial sobre Gabriel García Marquez que é um dos meus autores prediletos.
O que me chamou atenção a ponto de eu postar aqui algo sobre o realismo mágico de suas obras é a origem de suas criações. Estava tudo ali, na sua vila em Arataca (Colômbia). As lendas, personagens, verdades e devaneios.
Fiquei a pensar que muitas vezes, como escritores, queremos viajar para tão longe, criar coisas tão fora daquilo que somos e vivemos e pode ser que estejamos desperdiçando uma matéria prima que esta bem diante de nossos olhos: a original visão de nosso mundo.
Almas ricas produzem arte.