terça-feira, 31 de março de 2009

Não faça isso Gabriel !

García Márquez não voltará a escrever, diz agente literária
A agente literária Carmen Balcells, uma das mais atuantes no meio literário de língua espanhola, previu o silêncio definitivo do escritor colombiano Gabriel García Márquez, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982."Acho que García Márquez não voltará a escrever nunca mais", disse Balcells em entrevista ao jornal chileno "La Tercera", na qual assegurou que o escritor representava 36,2 % do faturamento de sua agência literária.O escritor Gerald Martin, autor da única biografia autorizada de García Márquez, concordou com Balcells. "Eu também acho que (García Márquez) não escreverá mais livros, mas isso não me parece lamentável. Como escritor, foi seu destino ter uma trajetória literária totalmente coerente", declarou Martin.No mês passado, durante a Feira do Livro de Guadalajara, no México, o autor de "Cem Anos de Solidão" chegou a declarar que "escrever livros dá trabalho". Segundo Martin, García Márquez tem alguns livros completos guardados, mas ainda não decidiu se vai ou não publicá-los.

___________________________________________________________
Beatriz diz:
Estou em estado de choque !

segunda-feira, 30 de março de 2009

Mudanças


Mudanças e seus modos
Gabriel Perissé 28-Out-2008
Fonte: Correio da Cidadania

A vida tem ciclos. Idas e vindas, giros e voltas, corre-corres. Há entra-e-sai, perde-ganha, sobe-e-desce. Mudamos de pele, de roupas, de cidade, mudamos de idéias. Muito pouco é imutável. Sobre a base do amor incondicional e das convicções inegociáveis, devemos realizar alterações, inovações, evoluções, transformações.

Mudar o modo de amar, sem matar o amor. Mudar o modo de andar, sem cortar os pés. Mudar as cores, conservando os olhos. Mudar o horizonte, e manter as asas. Sair de onde estamos para continuar em frente. Descartar o descartável para assegurar o eterno. Enfraquecer as rotinas para fortalecer os vínculos que valem a pena.

Tenho medo de mudar, não vou negar. Mudar mexe, machuca, mói. Mudar dá trabalho. Quem muda não pode mais ficar mudo. Mudança faz dançar. Mudança cansa. Mudar arranca pedaços. Na mudança nem tudo pode ser levado. Mudar é despojar-se.

Quero mudar o modo de comer, sem acabar com a fome. Mudar o modo de falar, sem enrolar a língua. O modo de trabalhar, e não perder o pique. Mudar o modo de ler, encontrando o avesso dos livros dos quais não vou me separar.

Ser mutante sem esvaziar o ser. Mudando a casca, protejo o miolo. Mudando a cara, restauro o rosto. Mudando o entorno, salvo o estofo. Mudando os ares, recupero o fôlego. Mudando a letra, liberto o espírito.

Para mudar não é preciso muito. Nem pouco. Nem sempre os outros reparam. Todos notam. Atribuem notas. Avaliam. As mudanças mais profundas parecem tão inofensivas. Eu mudando, o mundo dos outros não muda. Mas, o meu, sim.

Mudarei de repente e lentamente. Mudarei num piscar de olhos depois de muito planejar. Mudarei por dentro e por fora, mudarei sem fazer rascunho. Mudarei agora. Pronto, mudei.

A mudança me fez ser a criança que jamais fui. Mudei de jogo. Mudei de lado. Mudei num pulo. Mudei e ninguém sabe para onde fui.

Gostei de mudar. A mudança me fez bem. Você não vê, leitor/leitora, mas a mudança já começou a influenciá-lo/a. A mudança começa devagar. Vai comendo pelas bordas. Vai roendo pelos cantos. Vai subindo pouco a pouco. Vai entrando pelas brechas.

Mudado, posso fazer o novo, de novo. Mudado, reafirmo que não morrerei para sempre. Mudado, posso voltar para casa. Meu nome é o mesmo, mas a assinatura mudou. Minha vida, idas e vindas.

Gabriel Perissé é doutor em Educação pela USP e escritor.
Website:
http://www.perisse.com.br/

sábado, 28 de março de 2009

O preço de ser diferente


Quem não busca conhecer a própria alma, não toma decisões por si só, e é preso pelo pensamento da grande massa.

"A alma humana e seus confins, o complexo da experiência humana interior obtida até agora; a altura, a profundidade, as cotas da experiência, toda a estória da alma até agora e suas possibilidades ainda inexploradas; tudo isto é para o psicólogo nato e para quem ama a "grande caçada" — verdadeiro terreno predestinado. Mas quão frequente deve exclamar com desespero: "estou só, ai de mim, só nesta grande floresta, nesta floresta virgem!" e deseja ter uma centena de companheiros e de bons sabujos bem amestrados para encurralar sua presa, para desentocar a sua selvagem, a alma. Em vão descobre cada vez mais, com amargo desengano, quanto é difícil encontrar os companheiros e os cães adequados para descobrir as coisas que moveram sua curiosidade. "Friedrich Nietzsche - Além do bem e do mal

sexta-feira, 27 de março de 2009

Cartas, Roupa Nova


video


Porque hoje tem show do Roupa Nova na cidade vizinha e eu não vou... SNIF...


Sou fã desse grupo e dentre as lindas músicas deles, escolhi a que tem ligação com nome desse blog... CARTAS...

Respondendo Meme da XANA!




Recebi este desafio da XANA . É uma entrevista e que tem como objetivo
nos darmos a conhecer melhor a quem nos lê!
Quando e porquê resolveu criar o blog?
Este blog já existia em outro endereço. Mudei para o blogger para ter um visual mais interessante e melhores opções de postagem.Criei para compartilhar meus escritos e as coisas que me interesso.
Depois que o blog entrou no ar, o que mais te dá satisfação em relação a ele?
-Encontrar pessoas com mesmo ponto de vista, que estão abertas para trocar ideias sobre aquele assunto que posto.
Quais os assuntos que seu blog trata?
- Meu foco é cultura. Posto sobre notícias interessantes, literatura, música e alguns pensamentos que desejo compartilhar.
Qual o assunto que você mais gosta de postar?
- Literatura.
O que te dá mais prazer em blogar?
- Trocar ideias.

Por que você deu este nome ao seu blog?
- Porque adoro escrever cartas (muitas nunca enviei). Para um ar mais enigmático coloquei "ao avesso".
Você gosta de mudar de template? Quantas vezes o mudou ?
- Mudei uma vez só. Tenho muito receio de mudar e desconfigurar tudo.

Como a Beatriz se define por ela mesma?
- Uma mulher forte que quer aprender a viver melhor.
O que você faz quando está longe da Internet?
- Sou formada em Comércio Exterior, e trabalho em uma empresa multinacional que comercializa produtos químicos.Sou escritora, tenho um livro editado, escrevo para revista eletrônica Olhar Alternativo e estudo espanhol nas quintas. É isso!

Blogs ou sites que acha que deve sempre visitar?
- Visito sempre o Portal Literal para saber notícias de literatura. Normalmente visito os blogs de quem deixa comentário, e os da lista de meus bolgs ali ao lado.
Já teve algum problema com comentarista?
- Já. Tinha um anônimo que vivia criticando meus posts. Desistiu pois meu blog tem moderador.
Blogueiro(a)(s) que admira?
-Xana. Ela além de visitar um montão de blogs todos os dias, ainda posta coisas lindas.

Para finalizar a entrevista, um bate-bola super rápido ...
Nome: Beatriz
Idade:26
Local Onde Mora: Criciúma/SC
Um mês: Abril
Um ano: 2006 (consegui conquistas maravilhosas)
Uma letra: B
Uma estação: Primavera
Uma flor: girassol
Uma fruta: cítricas
Uma matéria: Literatura
Um passatempo: ler
Um esporte: academia
Um herói: Gandhi
Um filme: Kill Bill
Uma música: Paciência, Lenine
Um programa: LOST
Um time: Corinthians
Uma mania: mexer nos cabelos
Uma profissão : psicólogo (admiro muito essa profissão)
Um sonho: Ter uma biblioteca imensa
Uma coisa importante: minha alma
Uma sorte: Ganhar um carro
Um amor: família
Uma paixão:livros
Um desejo: evoluir sempre
Um perfume: Cheap and Chiq
Adoro: ler
Odeio: dissimulação
Amigos: Poucos mas bons
Um lugar: a minha casa
Um cheiro: de chuva
Um horário: 16 horas
Um sorvete. lTODOS !
Uma cidade: Florianópolis
Uma dor: Saudade
Uma saudade: do meu pai e avó materna
Uma peça de roupa: vestidos
É indispensável: Respeito e maturidade

Um defeito: Intolerância
Uma qualidade: Sincera
Uma comida: massa
Um doce: TODOS
Uma lanchonete: McDonalds
Um restaurante: Montalchino
Uma frase:Sou como você me vê:posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania; depende de quando e como você me vê passar.
Quebro a corrente e deixo a critério de quem quiser fazê-lo.
Bjs a todos!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Cuidados com seus livros


Como uma verdadeira viciada em livros, percebo que esses tesouros precisam de cuidados especiais. Por isso, aí vai uma lista de dicas para conservá-los em bom estado:
- Evite lugares com umidade;
- Se for anotar algo neles, utilize lápis ao invés de caneta;
- Evite clipes pois os de metal enferrujam e mancham os livros, e os de plástico amassam as folhas;
- Cuidado quando irá ler em um momento de alimentação. Líquidos ou até a própria comida poderão estragar seu livro;
- Quando for limpá-los, tire pano seco para as capas e uma escovinha pequena e seca para as páginas;
- Não dobrar as páginas ! Nunca fazer as famosas "orelhas" nos livros;
- Pense bem antes de emprestar um livro. Já vi muito livro ser devolvido amassado ou sujo... isso quando devolvem...
Com esses cuidados, você poderá ter seus livros bem conservados por muito tempo, sempre bem apresentados para uma prazerosa releitura.



segunda-feira, 23 de março de 2009

Ler um pouco de tudo!



É preciso ler um pouco
Escrito por Gabriel Perissé
FONTE: Correio da Cidadania


É preciso ler um pouco de tudo.

É preciso ler um pouco de psicologia, para descobrir o poço sem fundo da alma.

É preciso ler um pouco de poesia, para penetrar nesse poço sem fundo, e nele afundar até o gozo.

É preciso ler um pouco de teologia, para descobrir que indo mais fundo no poço sem fundo encontraremos a Deus.

É preciso ler um pouco do jornal do dia, para descobrir que o mundo já chegou ao fundo do poço, mas ainda continua descendo.

É preciso ler um pouco de geologia, para descobrir novos poços sem fundo nesse mundo fecundo.

É preciso ler um pouco de magia, para descobrir no fundo do poço mais fundo o enigma mais profundo.

É preciso ler um pouco de filosofia, para descobrir que o mundo não é imundo, é apenas um poço sem fundo dentro de outro poço ainda mais fundo.

É preciso ler um pouco de biologia, para descobrir a vida se debatendo no fundo, no fundo mais fundo do poço sem fundo.

É preciso ler um pouco de antropologia, para descobrir que somos esse próprio poço sem fundo, fundamento de tudo o que somos.

É preciso ler um pouco de arqueologia, para descobrir uma cidade no poço sem fundo.

É preciso ler um pouco de astronomia, para descobrir que o céu é também um poço sem fundo, oceano negro em que nadam estrelas e interrogações.

É preciso ler um pouco de espeleologia, para descobrir que a caverna sem fundo guarda outros tantos poços sem fundo.

É preciso ler um pouco de filologia, para decifrar a linguagem do poço sem fundo.

É preciso ler um pouco de metodologia, para descobrir os caminhos que há dentro do poço sem fundo.

É preciso ler um pouco de etruscologia, grafologia, nefrologia, opsologia, ovniologia, papirologia, parapsicologia, piretologia, pomologia, psefologia, selenologia e todas as logias possíveis, para descobrir o poço sem fundo da nossa curiosidade.

É preciso ler um pouco de tudo, embora seja muito pouco. Que esse pouco, porém, seja suficiente para nos fazer vislumbrar no poço sem fundo a ausência desse fundo.

Ler um pouco de tudo, mas ler a fundo esse pouco.

Ler um pouco, tendo como pano de fundo a sede de saber.

Ler um pouco, mas, mesmo sendo pouco, ler contrafundo.

Ler um pouco, a fundo perdido.

Gabriel Perissé é doutor em educação pela USP e escritor.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Meu espelho amigo

Quando não desenvolvemos os aprendizados a respeito de nós mesmos, atrofiamos esse potencial e nos concentramos cada vez mais nos outros.
A pessoa então começa a vivenciar frustrações em todos os setores de sua vida, ansiedades e insatisfações.

Mas, se por um instante conversarmos com nossa mente, veremos uma força que está dormindo. Quantos livros, quadros, projetos estão inexistentes pois seus idealizadores não perceberam que podem fazê-los.
Para esse final de semana minha sugestão é criar algo que você sabe, lá no fundo da alma que pode fazer.

terça-feira, 17 de março de 2009

Não evoluir




Não cresço

quando me fecho para as novas idéias e me torno radical...

quando o novo me assusta e minha mente insiste em não aceitar...

quando me torno impaciente, intransigente e não consigo dialogar...

quando meu pensamento abandona sua casa e retorna sem nada acrescentar...

quando muito me preocupo e depois me culpo por não ter tido motivos para me preocupar...
quando penso demasiadamente em mim mesmo e consequentemente, dos outros, completamente me esqueço...

quando penso em ousar e já antevejo o preço que terei que pagar pelo ato, mesmo que os fatos insistam em me contrariar!

quando tenho a chance de amar e daí o coração se põe a pensar:
"Será que vale a pena correr o risco de me dar? Será que vai compensar?"

quando permito que o cansaço e o desalento tomem conta de minha alma e ponho a me lamentar...

enfim, quando paro de lutar...

Autor: Anônimo

segunda-feira, 16 de março de 2009

Eu estou concorrendo!



Eu me inscrevi na série branca. Torçam por mim!
________________________________________________


Notícia:Inscrições ao Prêmio Barco a Vapor batem recorde em 2009
Fonte: Portal Literal

O Prêmio Barco a Vapor se tornou, nos últimos cinco anos, uma das principais referências da literatura infantil e juvenil no Brasil, o que é comprovado pelo crescimento do número de inscrições realizadas para a sua quinta edição: 864 trabalhos foram recebidos pela Fundação SM, um aumento de 60% em relação ao ano passado.

O Prêmio recebe textos inéditos que se encaixem em uma das quatro séries da Coleção Barco a Vapor: Branca, para leitor iniciante (6 e 7 anos), Azul, leitor em processo (8 e 9 anos), Laranja, leitor fluente (10 e 11 anos) e Vermelha, leitor crítico (12 e 13 anos). A categoria com maior número de inscritos neste ano foi para a série Branca, com 389 trabalhos, seguida das séries Amarela com 171 trabalhos, Vermelha com 115 trabalhos e Laranja com 106.

O vencedor será anunciado na cerimônia de entrega, que acontece no segundo semestre de 2009, e receberá R$ 30 mil em dinheiro, referente ao adiantamento de direitos autorais, além de ter sua obra publicada por Edições SM. Também poderão ser publicados outros originais inscritos e recomendados pelo júri.

Segundo o diretor geral do Grupo SM no Brasil, Igor Mauro, “o Prêmio é a alma da Coleção Barco a Vapor, que já se tornou a maior do mundo para o público infantil e juvenil, com centenas de livros de autores de todo o mundo, com o objetivo de despertar o prazer pela leitura nos jovens leitores ibero-americanos e estimular a produção literária nacional”. A premiação acontece há 30 anos na Espanha e existe em todos os países em que o grupo atua: Brasil, Chile, México, Argentina, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia, Peru e Espanha.

Em 2008, o vencedor foi o escritor e jornalista mineiro Délcio Teobaldo com Pivetim, romance sobre o cotidiano vivido pelos meninos de rua, que será lançado ainda no primeiro semestre deste ano. Nas edições anteriores, foram premiados Flávio Carneiro, com A distância das coisas, (2007), Gláucia Lewicki, com Era mais uma vez outra vez (2006), e Caio Riter, com o título O rapaz que não era de Liverpool (2005).

O Grupo SM é um grupo de Educação de referência na Espanha e na América Latina liderado pela Fundação SM. Responsabilidade social, inovação e proximidade à escola pautam o trabalho da entidade, que tem como objetivo promover o desenvolvimento humano e a transformação social para a construção de uma sociedade mais competente, crítica e justa. No Brasil, onde atua desde 2004, o Grupo SM conta com um catálogo de livros didáticos e de literatura infantil e juvenil amplo e diversificado elaborado por Edições SM, e integrado a um projeto educacional que inclui estímulo à formação continuada de professores, incentivo à reflexão sobre educação, apoio a projetos socioculturais de diversas instituições, e fomento à leitura e à produção literária.

domingo, 15 de março de 2009

Edição de Março/2009 já está no ar


A edição desse mês já está disponível no site: www. olharalternativo.com
Para ter acesso, entre e se cadastre!

CONFIRA

sábado, 14 de março de 2009

Vida de um jornal

JORNAL
de Beatriz Vieira
Fonte: Cocal Notícias (06/03/2009)

Alguns jornais de semana passada descansam.
A página de protesto de moradores contra o esgoto a céu aberto foiusada na reforma do supermercado.
A tinta coloriu a fotografia do bueiro.
Opiniões dos leitores e horóscopo serviram para forrar a caixa de correspondência enviada com algumas amostras de perfumes.
O signo de Áries ficou com fragrância de almíscar.

Muitas folhas ficaram no canto juntando poeira.
A política e economia viraram o banheiro do gato Manfredo,
O bichano havia trocado de ração naquela semana.
Classificados foram recolhidos para a reciclagem.
Só uma folha daquelas páginas todas foi separada com carinho. A divulgação do lançamento de um livro. Seria dali a dois dias ás 21 horas.
Aquele jornal viveu, mas morreu.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Sempre Drummond


Soneto da perdida esperança

Perdi o bonde e a esperança.
Volto pálido para casa.
A rua é inútil e nenhum auto
passaria sobre meu corpo.

Vou subir a ladeira lenta
em que os caminhos se fundem.
Todos eles conduzem ao
princípio do drama e da flora.

Não sei se estou sofrendo
ou se é alguém que se diverte
por que não? na noite escassa

com um insolúvel flautim.
Entretanto há muito tempo
nós gritamos: sim! ao eterno.
_________________________

terça-feira, 3 de março de 2009

Fazendo arte

Para distrair um pouco nossos viciados leitores, aqui tem uma dica super divertida para passar o tempo: criar marcadores de páginas através de foto digital.
Como ?
CLIQUE AQUI e DIVIRTA-SE!